`
26/02/2012 - 16:16
DIA DE MANIFESTAÇÃO
Sinetran apóia protesto de Aprovados em Concurso no dia 28
Fonte: Assessoria Sinetran-MT
<p> &nbsp;</p> <p> &nbsp;</p> <p> &nbsp;</p> <p> O Sindicato dos Servidores do Detran de Mato Grosso (Sinetran) estar&aacute; participando do protesto no dia 28 de fevereiro dos Aprovados no concurso do Estado que at&eacute; agora n&atilde;o foram chamados.</p> <p> &nbsp;</p> <p> &ldquo;O governo tamb&eacute;m tem substitu&iacute;do os aprovados e classificados no concurso, n&atilde;o s&oacute; por terceirizados, mas tamb&eacute;m por estagi&aacute;rios, sendo que no entendimento consolidado pelo Superior Tribunal de Justi&ccedil;a &ndash; STJ, de que mesmo as pessoas que ficaram apenas classificadas no concurso t&ecirc;m direito l&iacute;quido e certo de serem nomeadas, caso o Estado efetue contrata&ccedil;&atilde;o de forma prec&aacute;ria para o preenchimento de vagas existentes&rdquo;, alerta Veneranda Acosta, presidente do Sinetran.</p> <p> &nbsp;</p> <p> Para Veneranda,&nbsp; a quest&atilde;o n&atilde;o s&atilde;o apenas as vagas existentes no edital do concurso, mas as vagas existentes nos &oacute;rg&atilde;os e entidades do Estado que est&atilde;o sendo ocupadas por pessoas que n&atilde;o passaram por um concurso p&uacute;blico, o que fere a Constitui&ccedil;&atilde;o Federal e o direito de todas as pessoas que se dedicaram aos estudos, passaram no concurso ou ainda se classificaram de forma digna e com muito sacrif&iacute;cio.</p> <p> &nbsp;</p> <p> At&eacute; por isso o Sinetran vai juntar a voz&nbsp; com os concursados, familiares outras entidades sindicais como o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Banc&aacute;rios e do Ramo Financeiro do Estado de Mato Grosso (SEEB-MT), Sindicato dos Profissionais da &Aacute;rea Instrumental do Governo(SIMPAIG), Sindicato dos Trabalhadores Telef&ocirc;nicos do Estado de Mato Grosso(SINTTEL),&nbsp; Central &Uacute;nica dos Trabalhadores (CUT),&nbsp; Sindicato Estadual dos Servidores do Sistema Agr&iacute;cola Agr&aacute;rio e Pecu&aacute;rio (SINTAP), Central Geral dos Trabalhadores do Brasil(CGTB), Sindicato dos Servidores P&uacute;blicos Estaduais da Carreira dos Profissionais de Desenvolvimento Econ&ocirc;mico e Social do Estado de Mato Grosso(SINDES), Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Correios, Tel&eacute;grafos e Servi&ccedil;os Postais de MT (SINTECT), numa via sacra que come&ccedil;ar&aacute; &agrave;s 8h em frente a Secretaria de Administra&ccedil;&atilde;o seguindo pelo Centro Pol&iacute;tico Adminstrativo.</p> <p> &nbsp;</p> <p> Segundo a Comiss&atilde;o, at&eacute; o momento, o governo chamou 8.952 das 10.086&nbsp; vagas disponibilizadas em 2010. Faltam ainda 859 que os concursados acusam o governo de estar protelando a nomea&ccedil;&atilde;o. O prazo vence em junho desse ano. O governo at&eacute; anunciou um corte de cerca de 1,8 mil terceirizados e comissionados para chamar todos os concursados, mas ainda n&atilde;o o fez&nbsp; e ainda contratou terceirizados para ocupar cargos na Secretaria de Educa&ccedil;&atilde;o, o que revoltou os aprovados que aguardam a nomea&ccedil;&atilde;o. &ldquo;Esses contratos possuem valores exorbitantes, e n&atilde;o conseguimos entender o por que do governo preferir pagar mais caro (o dobro do valor do concursado) para empresa terceirizada, do que chamar os&nbsp; aprovados no concurso, diante disso solicitamos investiga&ccedil;&atilde;o ao Minist&eacute;rio P&uacute;blico que abriu Inqu&eacute;rito, e audit&oacute;ria em loco pelo Tribunal de Contas.&rdquo;, completa Franscisvaldo.</p> <p> &nbsp;</p> <p> Os concursados denunciam que ao inv&eacute;s de cham&aacute;-los o governo prefere contratar tempor&aacute;rios. &ldquo; J&aacute; tentamos in&uacute;meras vezes falar com o secret&aacute;rio de Administra&ccedil;&atilde;o Cezar Z&iacute;lio protocolamos of&iacute;cio e pedimos provid&ecirc;ncias na Assembl&eacute;ia Legislativa, mas nada foi feito. Com esse manifesto esperamos ter nossos direitos ressalvados&rdquo;, afirmou o l&iacute;der da Comiss&atilde;o dos Concursados Franscisvaldo de Castilho Gon&ccedil;alves.</p> <p> &nbsp;</p>